Publicado em 25 de setembro de 2015 às 4:18 PM por TV Anísio Teixeira
(1158) (128) (0)
Código de barras QR
Denunciar
Incorporar

CONTEÚDO: O coronelismo da região cacaueira face aos Tupinambá de Olivença; contraste entre os relatos jornalísticos da década de 30 sobre o Caboclo Marcellino e os fatos narrados pelos anciãos das tribos que habitavam a região. OBJETIVO: Apresentar a versão dos Tupinambá de Olivença para o sumiço do Caboclo Marcellino. Neste vídeo, apresentamos a história de um herói para as populações indígenas da Bahia, baseada em fatos reais, extraídos da memória dos anciãos, em contraste com as manchetes dos jornais da década de 30, que anunciavam a prisão de um foragido. Assim, para a elite da região cacaueira de então, o Caboclo Marcellino era um bandido. Já para os Tupinambá, ele lutava pelo direito dos populações indígenas às terras ocupadas, luta essa que ainda continua. Por ser o único indígena que sabia ler e escrever, Marcellino era mesmo uma pedra no sapato dos coronéis que não sossegaram enquanto não lhe deram sumiço. Até hoje ninguém sabe do seu paradeiro, mas ele continua vivo na memória de seu povo.

Estevídeo resulta da formação em Interpretação e Produção deVídeos Estudantis realizada em Olivença, distrito de Ilhéus, comestudantes da Escola Estadual Indígena Tupinambá de Olivença, combase no livro escrito pelo professor Katu Tupinambá. Uma iniciativada Rede Anísio Teixeira / Instituto Anísio Teixeira / Secretaria daEducação do Estado da Bahia.

  • Ensino Médio
  • Ensino Fundamental Final
  • Educação Escolar Indígena
  • Ensino Superior
  • Educação de Jovens e Adultos 1
  • Educação de Jovens e Adultos 2
  • Humanas
  • Linguagens e seus códigos
  • Artes Visuais
  • Audiovisual
  • Literatura
  • Teatro
  • História e Cultura Indígena
  • Pluralidade Cultural
  • Ética e Cidadania
  • 7º Ano
  • 8º Ano
  • 1º Ano
  • 2º Ano
  • 3º Ano
  • Arte
  • História
  • Sociologia
  • Artes
  • Línguas
  • Ciências Humanas
  • Lingüística, Letras e Artes
  • Estudo da Sociedade e da Natureza

Julho de 2014

Atribuição-NãoComercial CC BY-NC

0 comentário(s)